SAMBA ORIGEM_editado.jpg

O Projeto Samba Origem idealizado pelas Cantoras Fran Januário e Vivi Amaral colabora com a promoção e a divulgação da música brasileira através do samba raiz.  Ressaltando um estilo que traz primazia e abrilhanta ainda mais este resgaste, o projeto tem por base a interpretação e o trabalho autoral perpassando pelos vários estilos existentes dentro do samba e ainda conta com o dueto de vozes femininas, assim como acontecia na década de 20 com a eterna dupla:  Mário Reis “Bacharel do Samba” e Francisco Alves ” O Rei da Voz”.

 

O espetáculo mostra uma bela homenagem a todas mulheres que fizeram e fazem história no samba!  O espetáculo "Essência de Ser Mulher" A presença feminina foi fundamental para que a cultura do samba se perpetuasse, sempre resistindo em meio a tanta repressão. O espetáculo musical vai homenagear grandes nomes do Samba como: Chiquinha Gonzaga, Dona Ivone Lara, Leci Brandão, Bethe Carvalho, Clementina de Jesus, Jovelina Pérola Negra, Elza Soares, etc... Não nos esquecendo da eterna “Tia Ciata” e suas reuniões em sua Residência. O show está repleto de novidades e emoções! Traz a história de luta escoada através da própria essência de ser mulher.

 

AQUECIMENTO LOS HERMANOS!

Mineiros apaixonados por LOS HERMANOS e MPB já podem comemorar! Dia 15 de Março no palco do Cine Theatro Brasil Vallourec, uma noite de amor em dose dupla! Vocês pediram, eles estão de volta! Especial Los Hermanos, a banda  carioca, cover dos barbudos que viaja o Brasil saciando a saudade dos fãs e que têm nos metais, Bubu Trompete, integrante original dos Los Hermanos, com um show de arranjos fiéis, tocados na íntegra e com uma compilação das melhores canções dos barbudos.

E  a noite fica mais linda ainda, porque eles trazem pra abrilhantar a noite, a Banda Tem Amor - Banda carioca com EP´s recém lançados, produzidos por RODRIGO SURICATO, e JULIO RAPOSO. E que ainda traz no repertório, versões de TEATRO MÁGICO, 5 a SECO, A BANDA MAIS BONITA DA CIDADE, LENINE, CHICO BUARQUE, MARIA GADU entre outros.

ESPECIAL LOS HERMANOS COVER_editado.jpg
 
TRIO AMARILIS_

Ana Leal, Ana Proença e Ivone Lopes, são cantoras com trajetória musical na música brasileira em seus variados gêneros. Estiveram em trio pela primeira vez em novembro/2017, em um show beneficente, surgindo daí o desejo de continuarem cantando juntas. A afinidade dessas três mulheres, empoderadas e decididas a fazer da música o alimento diário da alma, fez nascer o Trio Amarílis.

No show “Primavera em Abril”, o Trio passeia por vertentes do samba, carimbó, xote, baião, forró, sertanejo caipira, além de uma canção composta por Ana Leal. Tudo muito florido e dançado, com o propósito de contagiar a plateia, que certamente sairá com a alma lavada – ensaboada e enxaguada, cheirando a aromas primaveris, em pleno mês de abril.

 
SERGINHO FREITAS

Baseado em seu primeiro EP, o cantor e compositor carioca Serginho Freitas traz ao palco do Teatro de Câmara do Cine Theatro Brasil de Belo Horizonte o seu show “Lembretes”. Com influências principalmente do folk e da música mineira, o artista apresenta suas canções em arranjos baseados no seu violão melodioso compondo a paisagem sonora para suas letras poéticas e reflexivas.


Com aproximadamente 1 hora e 40 minutos de duração, o show conta também com canções que influenciaram suas composições como ‘Blackbird’ (Lennon/McCartney) e ‘O vento’ (Rodrigo Amarante), além das autorais. Serginho Freitas traz ao palco o compositor Worlen Kaizer unindo o som das montanhas de Minas Gerais com as serras do Rio de Janeiro.
Sentimento é a palavra que o compositor acredita que defina suas canções. As músicas já estão disponíveis nos principais sites e plataformas de Streaming da internet.

 
DANILO REIS E RAFAEL

Após se consagrarem com o título de melhores vozes do Brasil pelo programa The Voice Brasil a simplicidade, humildade e carisma nos palcos fizeram os mineiros DANILO REIS E RAFAEL reconhecidos em todo o país. Apadrinhados no programa pelo cantor e compositor Lulu Santos que compôs a música UM HINO especialmente para a dupla, que interpretaram canções da MPB e deixaram uma marca no Brasil cantando a música Sinônimos. A dupla, cuja essência sempre foi o romantismo, fazem shows por todos os estados do Brasil.

 

Atendendo ao público de Belo Horizonte que nos cobra show na cidade, preparamos um inesquecível espetáculo no Cine Theatro Brasil Vallourec com clássicos sertanejos para você reviver as suas melhores épocas do seu tempo do Nosso Jeito.

 
LUIZ RAÔNI

Reconhecido por seu público pelo seu timbre muito próximo ao de Tim Maia, o cantor Luiz Raôni estreia seu novo show em Belo Horizonte. Luiz Raôni que com toda competência, carisma e swing, contempla o público presente com uma performance de tirar o folego, homenageando o rei da Soul Music Brasil. O repertório reúne os maiores hits do Síndico, do romantismo do início da carreira passando pela fase psicodélica da Cultura Racional, sem esquecer os sucessos dance, funk e soul.

Com requinte artístico dos arranjos originais, rearranjos e muita musicalidade o “Show Tributo à Tim Maia”, é uma homenagem formatada em uma hora e meia de duração onde o intérprete vem acompanhado por uma banda de exímios músicos que entrega toda a genialidade musical da época, presente nas brilhantes composições de Tim Maia na voz de Luiz Raôni. O espetáculo vai emocionar o público de Belo Horizonte em uma noite única!

 

A vida lá no interior era, ao mesmo tempo, tão pacata e bucólica que tínhamos tempo para criar nossos brinquedos e inventar brincadeiras, ou seja, pudemos ser crianças. Hoje somos adultos graças aos momentos lúdicos que pudemos viver sem o grande estresse atual.


A musicalidade herdada de nosso pai Chiquinho Jorge, a qual ele exercitou com a ajuda do Tio Nonico Jorge, foi trabalhada em nós pelo "Véio", o qual nós espiávamos debruçados na janela da casa da `Sa` Nega, sua mãe, enlevados pela sonoridade que nos levava a um mundo maravilhoso de sons, sonhos e encanto.


Somado a tudo isso, o hábito da nossa mãe cuidar dos afazeres domésticos cantando era uma referência espetacular. Esse interior era a cidade de Peçanha. Lá nascemos, crescemos e fomos acalentados em um berço de cultura, verdade e humanidade...
 

Lá estão fincadas nossas Raízes. Por isso podemos e ousamos voar...

 

Dona Ivone Lara: mas quem disse que eu te esqueço. 

Dentro da pluralidade da música popular brasileira, o samba é hoje largamente consumido em todo Brasil e em outros países, com toda a diversidade de fundamentos e vertentes com que ele se desenvolveu. Ele mexe com sentimentos e desperta emoções diversas, ao mesmo tempo em que promove a integração de pessoas de diferentes histórias e origens e alavanca memórias e afetos. É nessa pluralidade encontrada nas vivências das rodas de samba que a cantora Ana Proença traz o mais brasileiro dos estilos musicais em um “show homenagem” à Dona Ivone Lara.

Interpretado pela cantora Ana Proença, o show traz as composições de Ivone Lara passeando pelos clássicos e pelas canções emblemáticas da compositora, além de algumas de suas parcerias com grandes nomes do samba brasileiro. “Dona Ivone Lara: mas quem disse que eu te esqueço” conta com os instrumentos principais de uma roda de samba, como cavaco, pandeiro, rebolo, tantan e repique, violão de 7 cordas e o auxílio luxuoso da flauta, e busca imergir o expectador na história do samba com o repertório de Dona Ivone Lara.

 

A violonista e violeira francesa Fabienne Magnant apresenta em Belo Horizonte o Show Cordas Latinas, parte do seu repertório em solo e duo com o percussionista Luiz Alberto Vittorino que vai desde a música brasileira com composições para violão e viola caipira.

 

O repertório contém composições dos álbuns Memoire Vivante, Le sens des sens, e La Trinidad e novos arranjos de Baden Powell, e Abel Ferreira, passeando pelas sonoridades das feiras populares do nordeste brasileiro aos elegantes concertos eruditos de casas europeias, por tradições ibérico-mouriscas e manifestações africanas.

 

O show conta com abertura do violonista mineiro Rafael Rafles, e participação especial do violeiro mineiro Taquinho Costa.

 

Renato Teixeira é uma presença constante na vida e carreira de Ilton Mourão, tanto que dá nome ao seu primeiro CD “Amizade Sincera”. Ilton Mourão tem sua vida embalada pela nossa música raiz: "Sou caipira, Pirapora, Senhora de Aparecida ..." canção da alma caipira, impossível não se lembrar; e para além de "Depois da curva da estrada..." muitas canções de Renato Teixeira que inspira violeiros e cantores por essas terras do nosso Brasil.

Assim, Ilton Mourão “pega a sua viola, põe na sacola” e vem homenagear o grande mestre Renato Teixeira.


Acompanhado pelo violonista, cantor e compositor Pedro Santos que traz ara esse show a sutiliza do seu acordeom, em um show que oferecerá ao público uma viagem emocionante pela música do interior do Brasil, que nos proporciona as canções de Renato Teixeira.

 

 

Homem simples, do povo, contador de causos e anedotas, puro de coração sem ser ingênuo, calejado pelas dores desse mundo sem perder o otimismo. Sujeito interessante esse “Antônio” e tanto, que até merecia existir mesmo. Mas não: foi delírio e sonho embalado por lembranças felizes. Cansado de ser um somente, alguém ousou concretizar a liberdade impossível de ser muitos. “Antônio” não é homem de um rosto só, é página em branco a ser preenchida pelo carinho de tantos que se identifiquem com os objetivos desse trabalho, dando-lhe contornos cada vez mais nítidos.


A apresentação musical é calcada em repertório autoral, em um trabalho composicional que prima pela diversidade de estilos das obras, preocupação musical apurada na concepção e realização dos arranjos. Outro aspecto importante é a preocupação poética: são canções que contam estórias, trazem esperança e alegria, tem um conteúdo que nos faz pensar, mas ao mesmo tempo são otimistas, com relação ao ser humano e à vida.


As canções apresentam amostras de diversos estilos e tendências da música popular brasileira, entremeadas de casos e explanações breves, espontâneas, que brincam com os contextos em que foram compostas. Esta dinâmica de apresentação resulta numa interpretação interativa e bem humorada, respeitando a inteligência do ouvinte. Mostra uma diversidade que agrada ao público que conhece a música popular do Brasil, ou surpreende quem espera um rótulo que aprisione o trabalho em parâmetros confortáveis, mas limitadores. Essa grande diversidade de fontes não permite dizer que Antônio Falm seja um “artista” de pop, de rock, de MPB, mas sim de música brasileira.

 

Os poemas trazem mensagens e alegria, e que seus significados sejam compreensíveis, mesmo que as mensagens não sejam óbvias. Vozes e instrumentos vários reunidos para mostrar um trabalho com coração

 

O artista mineiro Worlen Kaizer sobe ao palco do Cine Theatro Brasil para cantar Chico Buarque de Holanda. O espetáculo é um recorte de temáticas e harmonias que permeiam a obra do compositor carioca.


"Chico: protestos, mulheres e outros desencontros" evidencia a notável obra de Chico Buarque em três atos. A música de Chico transcende a tênue linha que insiste em separar letra de música e poema. Assim, o eu lírico presente na arte deste compositor protesta, ama e desencontra, contradiz até mesmo as contradições da vida, dos amores que chegam ou partem, desventuras. Tudo isso em um trabalho lapidado em alta qualidade, tanto na estética quanto na alma. Os sentimentos organizados por Chico dentro dessas ricas melodias, por meio de figuras e apropriações poéticas, evidenciam as inquietações do ser humano diante de situações dolorosas de injustiças sociais, amorosas, de gênero etc. Chico tem um jeito peculiar de protestar, falar sobre e como mulher, sem contar a poesia dos desencontros da alma humana. Por vezes, o eu lírico atravessa a linha do gênero e o protesto é feito com uma ironia tão fina, que não raro já confundiu muita gente. Os contrastes do eu lírico presente nas canções Chico são poeticamente poderosos. Esse show é um convite para juntos desfrutarmos de canções que nos instigam a driblar as ditaduras do nosso ouvir e olhar sobre o mundo.

 

Marcando a sua estreia em um teatro, Marina Baião, aos seus 24 anos, se propõe a visitar clássicos da MPB e do samba, como forma de homenagear as canções de um tempo que ela não viveu.

 

Acompanhada de excelentes músicos, Marina traz uma boa oportunidade para os saudosistas ouvirem novamente essas belas músicas e convida também a sua geração a se debruçar sobre o acervo privilegiado da música brasileira.E claro, além do repertório clássico, estarão outros emblemáticos hits do nosso tempo, que serão a nossa nostalgia de amanhã.

 
TONINHO MOREIRA_edited.jpg

Toninho Moreira, artista natural de Belo Horizonte, tem a musicalidade na alma, faz da música sua vida. Nos seus 20 anos de carreira é reconhecido pela sua irreverente alegria e pela mistura Minas/Bahia que se fez referência na sua carreira. 


Nesse show ele contará sua trajetória, fará releituras marcantes e através de suas músicas autorais levará ao público toda a emoção e amor que sente ao estar no palco. Nesse show Toninho Moreira apresenta pela primeira vez suas obras, onde contará e cantará 20 anos da difícil estrada de ser artista e viver de sua arte: a música. Vem ao palco com a presença de grandes músicos e amigos que o ajudaram a constituir essa brilhante história.

 
WORLEN 2_edited.jpg

Para os que pediram bis e aos que sentiram falta de outras canções marcantes do repertório de Chico Buarque, o cantor Worlen Kaizer apresenta o Segundo Ato de Chico: protestos, mulheres e outro desencontros. O espetáculo retorna ao palco do Cine Theatro Brasil com outras canções e algumas executadas no repertório do primeiro show, porém com novos arranjos que evidenciam a criação de um dos maiores artistas brasileiros, reconhecido pela riqueza estética e sensibilidade apurada ao tratar de questões sociais, dores, alegrias e dilemas do ser humano.


O protesto que é marca da poética de Chico, tema já abordado no primeiro show com canções como Cotidiano, Apesar de você e Ode aos ratos, agora vem ainda mais latente se apropriando da fina poesia do compositor carioca, com versos como: A novidade/ Que tem no Brejo da Cruz/É a criançada/Se alimentar de luz. O eu lírico feminino cantado no espetáculo anterior em composições como O meu amor, Sob medida, está presente agora também reverberando o sentimento feminino presente na obra de Chico em versos como: Te ligo afobada/E deixo confissões no gravador/Vai ser engraçado/Se tens um novo amor. Por fim, os desencontros amorosos, estilizados com figuras de linguagens potentes como: Já conheço as pedras do caminho/ E sei também que ali sozinho/ Eu vou ficar, tanto pior/ O que é que eu posso contra o encanto/ Desse amor que eu nego tanto. 

 

Segundo Ato de Chico: protestos, mulheres e outro desencontros, apresenta um formato acústico onde os arranjos valorizam as nuances presente no discurso musical das melodias de Chico Buarque.

 

Formada em 2013 e radicada na cidade de Contagem onde se apresenta semanalmente nos espaços de rock a Banda 80 Watts traz para Belo Horizonte o som e a magia das canções das décadas de 80 e 90. The Cure, The Smiths, Talking Heads, Ira, Titãs, David Bowie, Eurythimics, Bonnie Tyler, Kid Abelha, Rita Lee, entre outros que marcaram época não só para seus integrantes, mas para toda uma geração.


A banda traz releituras que proporciona uma volta no tempo trazendo lembranças e momentos que marcaram o cenário musical internacional e nacional da época. Tudo isso é feito com muita dedicação e esmero, buscando apresentar aos seus fãs muito rock e diversão aos amantes destas décadas. E com muito carinho, e dedicação, que a Banda 80 Watts, traz sua energia para o palco do Cine Theatro Brasil Vallourec com o conceito de Anos 80 com potência!

 

Nascido em um lar evangélico o cantor e compositor Daniel Guimarães desde os 7 anos já é atuante no cenário musical, tocando e cantando nos cultos e programação de sua igreja, tem construido um caminho de talento na musica gospel.


Daniel Guimarães se dedica à palavra alinhada com a adoração, pois acredita que a música é uma poderosa ferramenta como meio de tocar os corações e alma do ser humano.   

Daniel Guimarães apresenta em seu show  "Desperta", levantar uma nova geração com o objetivo de engrandecer o nome do Senhor Jesus e levar a palavra de Deus.  Através de canções autorais e também com canções conhecidas no cenário gospel.

Para esse momento de adoração, pode-se esperar músicas que tem marcado gerações. Daniel Guimarães vem acompahando por Miller Nascimento - guitarra, Thiago Gomes – baixo, 
Rafael Siqueira – bateria, Pablo Mota– teclado, Claudia Tavares, Anny Brasil e Douglas Ladislau – vocais, e o principal: a presença de Deus manifestada através de canções.

 

Karol Maia, compositora e musicista mineira, 18 anos de estrada tocando e cantando na cena musical de Belo Horizonte e região, participante de bandas com Cássias (tributo à Cassia Eller), e recentemente com a banda Hi Flower ficou em 1º lugar no Festival de Música da cidade de Mateus Leme.


Vem ao palco do Cine Theatro Brasil com o projeto Empoderar-te, trazendo os sucessos musicais que homenageiam e enaltece as mulheres. Karol Maia traz pra esse show releituras de grandes nomes da música como Elza soares, Rita Lee, Marisa Monte, Chico Buarque, Cássia Eller, dentre muitos outros talentos.


As participações especiais de várias musicistas mineiras abrilhantam ainda mais essa noite tão esperada, que ao final trará uma sensação de poder à todas as mulheres e de respeito e carinho a todos os homens presentes.


Em seu canal além de vários sucessos também apresenta suas composições como
o recente single Coisa Nossa.

 © 2016 - 2019 by